Torne-se um cidadão

Torne-se um súdito do Reino da Itália, clique aqui e saiba como

Registre-se

Para se registrar gratuitamente em nosso portal Clique Aqui

Fórum Público

Clique aqui e acesse agora mesmo nosso Fórum Público

ARIN - Últimas Notícias


Leia agora as últimas notícias da Agência Real Italiana de Notícias

La Prima Legge

Leia aqui o texto da Constituição Nacional do Reino da Itália

Acesso em Smartphones


Acesso ao fórum, rápido e prático, com smartphone? Clique aqui e saiba como!

História Micronacional

alt

A história micronacional do Reino da Itália começa em 05 de Janeiro de 2002, quando o atual monarca entrou no micronacionalismo como membro da gens Elenath, no Magno Império de Hibernia. Em 09 de Fevereiro do mesmo ano, o Barão do Oriente Áureo, Labrus Elenath funda sua própria gens tornando-se Labrus Peregrinus. Com a nova gens criada observa-se um rápido e forte crescimento com a entrada de novos membros como Sergius Peregrinus, futuro Duque de Siracusa, e Melanye Peregrina, depois reconhecida como Princesa de Roma.

Num ano de muitas lutas e desafios, os Peregrinos cresceram vertiginosamente tornando-se a maior gens hibérnia na época possuindo inclusive um portal próprio. Em 15 de Novembro de 2002 deixam as terras hibérnias e em 17 de Novembro fundam o Reino Unido da Sicília, a primeira micronação de cultura itálica na lusofonia. Já de início, trava-se uma batalha diplomática entre Hibernia e Sicília, porém tal confronto resolve-se de maneira pacífica e o Reino passa a ser oficialmente reconhecido por inúmeras nações da lusofonia.

Contando de início com toda a antes gens e agora Família Peregrina e com o, agora, Marquês de Agrigento, Vittorio Illúvatar Orseole, o Reino Unido da Sicília inicia seu primeiro ano de atividade apostando numa política externa ativa alçando assim novos reconhecimentos e alianças. Sob instruções diretas da Coroa, a Sicília abraça uma política externa de absoluta neutralidade diplomática tornando-se assim uma terra de todos, na lusofonia.

Nesse primeiro tempo, a nação é presenteada com a arte heráldica de Heraldo Marquardt, na época cidadão do Principado de Sofia, e hoje conhecido como Sua Alteza Real o Arquiduque Raul Markottos, ex-monarca do Sacro Reino de Pathros e Conde de Castellamare na Sicília. Na mesma época, o Reino Unido da Sicília é convidado a integrar o corpo representativo da OML, a Organização das Micromonarquias Lusófonas.

Já no primeiro ano de existência, fomos contatados pelo projeto macronacional Língua Siciliana para que fôssemos a porta de entrada de tal projeto no Brasil, fato que inaugurou uma parceria inédita entre o micro e o macromundo. Nesse mesmo caminho obtivemos a autorização do projeto Italiani a San Paolo para publicar no Reino o mini-curso de língua e cultura italiana.

Seguindo num rumo firme de crescimento, a nação aumentou em número de súditos sendo que outras famílias como Kawsttryanny e Zaccardi foram criadas, alavancando ainda mais a vida social do Reino. No correr desse primeiro ano, o Duque de Siracusa construiu nosso segundo portal nacional, o chamado projeto Sicília II e na primeira Festa da Sicília, em 17 de Novembro de 2003, quando das comemorações do primeiro ano de fundação, é lançado por Sua Majestade o Rei Labrus I Peregrinus o novo portal nacional, chamado Sicília III.

Durante o segundo ano, o Reino enfrentou novos desafios e abraçou novos objetivos, dentre os quais oferecer ao micromundo lusófono novas formas de comunicação, assim o foi em relação ao canal Micromundo, no sistema de voice chat paltalk, que fez história nas comunicações intermicronacionais. Nesta mesma época, a nação fundou, em conjunto ao Sacro Reino de Pathros e a Nobre Monarquia do Alto-Reino (hoje Império Alemão), a União Ítalo-Greco-Teutônica, uma forte aliança diplomática entre as três nações visando o desenvolvimento cultural de seus cidadãos.

A Sicília seguiu seu rumo até que em 2004 enfrentou sua primeira crise interna de atividade, dado as diferentes atarefações macronacionais de seus súditos. A situação foi contornada e o reino seguiu rumo ao seu terceiro ano, porém em meados de 2005, o Reino fecha suas fronteiras por tempo indeterminado e Sua Majestade o Rei deixa a coroa em favor de seus filhos Carmelo Pellegrini Logos, Rei do Sacro Reino de Pathros, e Bruno Pellegrini Thomas-Hohenzollern, Imperador Alemão.

Quando a história do Reino Unido da Sicília parecia ter se encerrado, Sua Majestade o Rei Labrus I e sua filha Melanye Peregrina retornam e novamente o patriarca dos Peregrinus enverga a coroa siciliana. O retorno do rei contudo, marcaria uma outra grande virada na história, pois herdeiro legítimo do trono napolitano, Labrus I unifica o Reino da Sicilia e o Reino de Nápoles fundando assim o Reino das Duas Sicílias e passando, em ordem dinástica, a usar o nome de reinado Francesco III Pellegrini.

Após a unificação dos dois reinos, SMR Francesco III, contando com a competente revisão de Leni Ribeiro Leite, então cidadã da República Federativa de Mallorca, e depois laureada com o título de Condessa de Montegiordano, outorga uma moderna constituição nacional, a Prima Legge, que em 70 artigos versava sobre toda a vida social e institucional da nação. A lei trazia consigo os novos objetivos da nação recém unificada, dando especial ênfase a um modelo micronacional mais leve e dinâmico capaz de lançar-se rumo a um novo tempo no micronacionalismo lusófono.

Por fim, após cerca de quatro meses de intenso desenvolvimento, o Reino das Duas Sicílias lança seu grande portal micronacional, o chamado projeto Sicília IV, um grande marco na evolução tecnológica da nação. Com o novo WEB Site Oficial, a nação abandona o modelo lusófono de listas de discussão a passa a usar o sistema de forums, comum na anglofonia. 

Finalmente, em 09 de Janeiro de 2007, o Reino das Duas Sicílias anexa importantes áreas na península itálica e oficializa assim a fundação do Reino da Itália, consolidando assim a proposta de uma micronação de cultura itálica no micronacionalismo lusófono. Em 26 de Março do mesmo ano, Sua Majestade o Rei outorga a nova Prima Legge e publica a Carta da Itália, que lança as novas bases da nação a partir da inédita e plena abertura do Fórum Público Nacional, reescrevendo o conceito de fronteira micronacional e mudando para melhor o modelo micronacional italiano e sua relação com toda a lusofonia. Nesta longa história, o Reino da Itália se fez e é reconhecido como uma autêntica potência micronacional lusófona.

Outros fatos importantes:
  • 02 de Fevereiro de 2008: Após o fim oficial da República de Siena, a Itália anexa as províncias de Siena e Grossetto.
  • 01 de Junho de 2008: Lançado o atual portal nacional, Sicilia V, incorporando as melhores tecnologias.
  • 30 de Junho de 2008: O Império Alemão cede à Itália as áreas da Lombardia, Vêneto, Friulli Venezia-Giulia, Trentino Alto-Adige, completando assim a Unificação plena da micronação italiana.
  • 18 de Agosto de 2009: Promulgada a primeira Constituição Nacional (Prima Legge), totalmente feita pelo povo italiano e jurada pelo monarca.
Fases de nossa História:
  • Era Hibérnia - 05 de Janeiro de 2002 →  15 de Novembro de 2002
  • Era Siciliana - 17 de Novembro de 2002  →  17 de Novembro de 2005
  • Era Duo-Siciliana - 17 de Novembro de 2005  →  09 de Janeiro de 2007
  • Era Italiana - 09 de Janeiro de 2007  →  Dias atuais

Poder Executivo

Conheça aqui a estrutura do Poder Executivo do Reino da Itália

Poder Legislativo

Acesse aqui o Poder Legislativo Italiano Micronacional

Poder Judiciário

O poder responsável pela justiça e pela correta aplicação das leis

Chancelaria Real

Micronacionalista, entre em contato com a Chancelaria Real Italiana
Não somos membros de qualquer nação real ou movimento separatista.
Este WEB Site destina-se única e exclusivamente aos praticantes do hobbie chamado micronacionalismo.
Todos os direitos de imagem e nome reservados a nação italiana real.